- Ano VIII - nº 2 (66) - Fevereiro /Março / Abril de 2014.                           Direção: Osiris Costeira

FITOTERAPIA - Iára Vieira. - iarasovieira@gmail.com

Candidíase Recorrente

 

A candidíase é uma infecção provocada por um fungo, a Candida albicans, que normalmente existe no organismo de uma mulher saudável. O problema aparece quando ela se multiplica mais do que deveria.  Também está associada a processos alérgicos e pessoas com predisposição a ter alergias são mais vulneráveis à infecção vaginal por fungos.

O tipo de agente causador da alergia não importa. Pode ser algum medicamento, alimento ou substâncias químicas. Há mulheres que desenvolvem alergia às proteínas do sêmen do parceiro sexual ou até a remédios consumidos por eles, cuja substância lhes chegam através do sêmen.

O estresse e a nicotina do cigarro são outros dois fatores de risco para a infecção, uma vez que contribuem para diminuir as defesas imunológicas, particularmente na região vaginal. A infecção aparece ainda associada ao HPV, o papiloma vírus humano, uma vez que esse vírus diminui a resistência do organismo.

A proliferação dos fungos que dá origem à candidíase está associada com a diminuição dessas defesas no ambiente vaginal. A baixa resistência é o principal fator de risco para que os fungos presentes no meio, em pequena quantidade, se multipliquem de modo exagerado. Alguns estudiosos acreditam que é possível adquirir a infecção por meio do contato sexual, quando o parceiro está infectado por fungos e os transmite à mulher através do sêmen.

Uma dieta para eliminar o fungo deve ser seguida por mais ou menos três meses. Se estiver num quadro agudo, vai precisar tratar os sintomas com remédios, em seguida com a dieta.

Além de cortar alguns itens do cardápio, devem entrar na sua rotina os probióticos (organismos vivos que fortalecem as bactérias amigas do intestino).

Alimentos que devem ser evitados e as medidas a tomar, até que seu organismo se restabeleça: pão, bolo, biscoito, gordura, queijos fermentados, cereais refinados e suas farinhas, batatas de todos os tipos, nozes, frutas secas, frutas doces, suco de laranja, vinagre, qualquer coisa que contenha fermento, levedo de cerveja, bebidas alcoólicas, chocolate, café, chá preto.

Açúcar e doces em geral, mel, melado, karo, maple, malte, torta, pastelaria, torrada, bolo e qualquer outro produto que leve farinha ou fermento.

Frutas secas (ameixa, damasco, tâmara, uvas-passas, banana-passa que contém açúcar (frutose),  sem falar na concentração de açúcar dessas frutas (especialmente uva-passa, banana e tâmara, nozes, castanhas  (oleaginosas),  amêndoas, amendoim   também devem ser excluídos por um tempo, já que podem conter fungos.

Bebidas alcoólicas.

Queijos com fungos.

Leite integral, mais de um copo, de preferência,  deve-se cortar o leite e derivados e o glúten, pois estes três são os alimentos prediletos das leveduras e dos fungos.

Batata-inglesa, batata-doce, batata-baroa, inhame, cará, aipim; farinha de mandioca; milho verde; arroz branco, macarrão branco e outros alimentos ricos em amido, como cremogema, farinha de arroz, farinhas lácteas, produtos fermentados da soja - misso, shoyu, tempê, nato frituras, empanados, gordura em geral.

 

Açúcar: Além de nutrir a Candida, o doce modifica o pH intestinal. Esses fungos também liberam uma toxina que interfere em alguns neurotransmissores, o que acaba atiçando o seu desejo por  doce. Corte o mal pela raiz.

Fermentados: Vinho e cerveja são bebidas fermentadas pela ação dos fungos. Em uma situação normal, isso não significa nenhum problema para o seu organismo, porém, enquanto estiver com candidíase, todos os alimentos que contém fungos devem ficar de fora do seu cardápio.  Isso inclui todos os tipos de cogumelos, vinagres e produtos que o incluem (ketchup, mostarda, azeitona e picles) e massas com fermento biológico (pão, pizza e torta).

Frutas: com moderação: É liberado o consumo de até quatro porções por dia. Apenas o melão e a melancia devem ser excluídas da dieta, já que podem conter fungos (aquela cobertura branca sobre as sementes). Fungos estão presentes também em todos os tipos de frutas secas, que devem ser substituídas pelas frescas durante a crise.

Mastigue: Comer depressa pode deixar a Candida mais forte. Proteína mal digerida vira alimento para os fungos.

Arroz, só integral: Os carboidratos refinados e simples, como biscoito, arroz, macarrão e pão branco viram açúcar rapidamente no organismo. Os produtos refinados podem ser substituídos pelos integrais, mas nas crises agudas devem ser cortados completamente.  Leite e seus derivados também ficam afastados da sua alimentação. A lactose é um tipo de açúcar.

Pílula: O hormônio sintético das pílulas anticoncepcionais também é um alimento e tanto para os fungos.

Lei seca nas refeições: Líquidos durante as refeições podem atrapalhar o processo digestivo e tirar o equilíbrio da flora intestinal. Tome líquidos apenas uma hora depois das refeições. Depois disso fique à vontade. O organismo precisa de pelo menos 2 litros e meio de água por dia para eliminar todas as toxinas.

Dê preferência aos sucos e adoçantes naturais: Sucos industrializados e refrigerantes contêm açúcar ou adoçantes que servem de alimento para a Candida, e ácido cítrico.

Relaxe: O estresse também pode abrir a porta para os fungos. Além de diminuir a imunidade, o stress pode interromper a produção do ácido clorídrico no estômago, comprometendo o equilíbrio da flora, favorecendo a produção de fungos.

PERMITIDOS:

Pode incluir na refeição duas ou 3 colheres de arroz integral.

Muito limão pra pingar na água, nas saladas e verduras.

Manteiga sem sal para colocar no seu ovinho e derreter sobre os seus legumes.

Pouco sal, já que sua dieta será muito rica em sódio devido às proteínas animais; não convém fazer retenção de líquidos por excesso de sal.

Pepino refresca e ajuda o corpo a eliminar água, o que é ótimo, já que você precisa se desintoxicar.

Depois de comer a melancia, corte a casca, ferva e tome como chá. É um poderoso diurético, tanto que não deve ser tomado à noite para não  perturbar o sono.

Muita água.

Chás para o fígado: camomila é especialmente indicada contra cândida suplementos também são muito importantes.

Pólen de abelhas contém muitos nutrientes, inclusive proteínas, e pode ser a base de um lanchinho: coma 1 colher de sopa, deixando dissolver devagar na boca.

Iogurte desnatado, natural

Coma verduras: Uma alimentação equilibrada, com muita salada verde-escura no almoço e no jantar é a salvação das bactérias amigas. A folha verde tem muitas fibras, auxilia na fermentação das boas bactérias, mantém o pH do intestino adequado e, por consequência, destrói os fungos.

Coma carnes:  de todos os tipos, mas prefira as brancas, de peixes e aves; ovos cozidos, quentes, mexidos com água, nunca fritos.

Vegetais sem amido: cenoura, abóbora, nabo comprido, rabanete, chuchu, vagem, quiabo, jiló, maxixe, pepino, aipo, celeríaco (raiz-de-aipo), funcho, cebola, alho, gengibre, alho-poró, brotos de alfafa, de feijão, de bambu, tomate (descascado), pimentões e berinjelas (com moderação).

Todas as folhas: repolho, acelga, couve, chicória, alface, agrião, caruru, espinafre e algas marinhas, que, além de muito nutritivas, rejuvenescem e matam fungos!

TRATAMENTO NATURAL

O chá de camomila deixa o pH da vagina mais baixo e é um método muito bom para controle da candidíase.

Da mesma forma o chá de Artemísia, Carqueja, Ipê roxo, Astrágalo.

Modo de preparar

Preparar o chá por infusão usando cinco colheres das de sopa de flores secas em um litro de água fervente. Coar, colocar numa bacia, adicionar água morna e esperar amornar por inteiro o banho. Sentar e deixar o chá agir por 15 a 20 minutos.

Preferencialmente na noite e depois, durma sem calcinha ou com calcinha de algodão (evitar calcinhas de tecido sintético).

Repetir o banho durante uma semana ou até os sintomas desaparecerem.

Banho de assento com água e vinagre 1 litro de água e 3 colheres vinagre

alivia coceira e queimação, e deve ser completada por uma aplicação de iogurte natural; pode repetir a cada três horas.

Banho de assento com salmoura

Banho de Orégano

1 punhado de orégano

250 ml de água
 

Modo de Preparo: Leve a água para ferver, coloque o orégano, apague o fogo e tampe. Espere amornar e coe. Coloque numa bacia e faça banhos de assento, massageando a região com movimentos rápidos, até a água esfriar. Se não tiver uma bacia, sente no vaso sanitário e vá jogando o chá aos poucos na região genital. O ideal é fazer antes de dormir para não usar nenhuma roupa íntima após o banho.

O cravo-da-índia e o orégano são antifúngicos poderosos.

O chá também pode ser utilizado em duchinhas vaginais após o banho de assento.

Também pode ser ingerido juntamente com o banho de assento.Dose: 1 xícara do chá, 2 vezes ao dia.

O chá da carqueja deve ser tomada apenas 1 vez ao dia por, no máximo, 7 dias.

 

 

CONTATO

fale conosco, tire suas dúvidas, fale com os terapeutas, opine sobre os artigos e dê sua sugestão de conteúdo.

BIBLIOTECA/LINKOTECA SELECIONADA

Nosso objetivo é formar um banco de referências bibliográficas das diferentes Terapias Holísticas, para consulta de todos os interessados em mais detalhes sobre determinado assunto. Seria muito importante, e verdadeiramente interativo, se recebessemos sugestões , objetivando uma das finalidades do site Terapia de Caminhos que é compartilhar experiências e conhecimento. Clique aqui para acessar a terapia que deseja uma bibliografia selecionada para consultas.

"As opiniões emitidas nos textos do site são de exclusiva responsabilidade de seus autores".