- Ano VI - nº 7 (58) - Outubro/Novembro de 2012.                                                               Direção: Osiris Costeira

FITOTERAPIA - Iára Vieira. - iarasovieira@gmail.com

Propriedades Medicinais de Palmeiras Nativas do Brasil - 1ª Parte

 

Nos nossos próximos números trarei para vocês curiosidades com que tive contato quando participei de nosso congresso anual dos Terapeutas Naturalistas, em Governador Valadares.  

Um participante me perguntou sobre as propriedades medicinais de algumas palmeiras nativas; nunca tinha atentado para estas espécies, o que me desafiou a fazer uma pesquisa sobre o assunto.  Achei interessante apresentar nas nossas publicações.

Espero que gostem do trabalho.

 

AÇAÍ (Euterpe oleracea)

Ocorrência: da região amazônica até a Bahia

Florescimento: Setembro a Janeiro - Frutificação: Julho a Dezembro 

Alimentação: Os frutos são utilizados para o fabrico de "vinho de açaí" que é um complemento básico na alimentação das classes populares.  A cabeça ou "palmito" é utilizado pela indústria de conservas.

Pode ser consumido de diversas formas: sucos, doces, sorvetes e geléias. A polpa do açaí é muito consumida na tigela, acompanhada de frutas e até mesmo de outros alimentos. Na região amazônica, a polpa do açaí é utilizada com farinha de mandioca ou tapioca.

 

 Propriedades Medicinais: Fruta rica em proteínas, fibras e lipídios. Encontramos nesta fruta as vitaminas C, B1 e B2 e uma boa quantidade de fósforo, ferro e cálcio.

Os frutos novos são utilizados no combate aos distúrbios intestinais; as raízes, empregadas como vermífugos; o palmito, em forma de pasta, atua como anti-hemorrágico, quando aplicado após extrações dentárias. A polpa do açaí é um ótimo energético, possuindo, cada 100 gramas, 250 calorias.

Cosmética: A indústria de cosméticos nacional e internacional está utilizando o açaí para produzir cremes, xampus e outros produtos de beleza.

 

BABAÇU (Orbignya speciosa)


Ocorrência: região amazônica, Maranhão, Piauí, Tocantins, Bahia e Mato Grosso

Florescimento: Janeiro a Abril - Frutificação: Jgosto a Janeiro 

Alimentação/Culinária: Das palmeiras jovens, quando derrubadas, extrai-se o palmito e coleta-se uma seiva que, fermentada, produz um vinho bastante apreciado regionalmente. As amêndoas verdes - recém-extraídas - raladas e espremidas com um pouco de água em um pano fino fornecem um leite de propriedades nutritivas semelhantes às do leite humano, segundo pesquisas do Instituto de Recursos Naturais do Maranhão. Esse leite é muito usado na culinária local como tempero para carnes de caça e peixes, substituindo o leite de coco-da-bahia, e como mistura para empapar o cuscuz de milho, de arroz e de farinha de mandioca ou, até mesmo, bebido ao natural, substituindo o leite de vaca.

Composição: Contém amido, vitaminas e sais minerais diversos.

Propriedades Terapêuticas: O pó do babaçu é indicado no tratamento de reumatismo, artrite reumatóide, úlceras, tumores e inflamações no útero e ovário e menstruação irregular e dolorosa, prostatite, possui propriedades anti-inflamatórias, analgésicas, cansaço físico e mental, esgotamento, no tratamento de úlcera gástrica e duodenal, colite ulcerosa, leucemia, anemia, varizes, cólicas menstruais, tuberculose, leishmaniose cutânea e visceral, elefantíase, hérnia, tireóide, reumatismo e dores na coluna, rico em fibras combate a prisão de ventre, colite e obesidade, tem-se obtido excelentes resultados em casos de Câncer. 

Como Tomar: O babaçu pode ser tomado diluído em água, suco, leite ou misturado na comida, uma colher de sopa, 2 vezes ao dia, ou pode ser acrescentado nas receitas de bolos, pães e mingaus. 

Contra-indicações: Na lactação, na gravidez e para pessoas sensíveis às substâncias presentes no babaçu. As doses não devem ultrapassar a indicada por causa do aumento de teor de glicose, especialmente em diabéticos. Evitar o uso por muito tempo.

BACURI (Attaleaphalerata)

Ocorrência: Acre, Rondônia, sul do Pará, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e São Paulo. 
Florescimento: Janeiro a Maio.   Frutificação: Outubro a Dezembro.

Alimentação/Culinária: O palmito é comestível. Dos frutos extrai-se uma fécula alimentar. Também são comestíveis in natura, tanto a polpa como as amêndoas.  O bacuri é uma das frutas mais populares da região amazônica. Essa fruta, pouco maior que uma laranja, contém polpa agridoce rica em potássio, fósforo, cálcio ferro e vitamina C, que é consumida diretamente ou utilizada na produção de doces, sorvetes, sucos, geléias, licores e outras iguarias. Sua casca também é aproveitada na culinária regional.  Bastante apreciado na forma de sorvetes, licores, tortas, geléias, dentre outros produtos.  Seu nome, em tupi, significa: "o que cai logo que amadurece" e é por este motivo que o fruto é colhido somente quando é desprendido naturalmente da árvore.

Propriedades Medicinais: é digestivo, diurético e cicatrizante. O óleo extraído de suas sementes é usado como anti-inflamatório e cicatrizante na medicina popular e na indústria de cosméticos.

 

BREJAÚVA (Astrocaryum aculeatissimum)


Ocorrência: do sul da Bahia a Santa Catarina.

Florescimento: Dezembro a Fevereiro   Frutificação: Julho a Dezembro 

Ameaças: destruição do habitat  

Alimentação/Culinária: Os frutos da brejaúva consistem em cocos pequenos que, quando consumidos ao natural, funcionam como uma espécie de brinquedo de comer, uma gostosa e nutritiva distração.

Propriedades Medicinais: O endosperma líquido do fruto jovem tem propriedades medicinais, sendo usado como laxativo e contra a icterícia, e, no fruto maduro, o endosperma carnoso é indicado como vermífugo.

 

BURITI (Mauritia flexuosa)


Ocorrência: Amazonas, Pará, Maranhão, Piauí, Ceará, Tocantins até São Paulo e Mato Grosso do Sul 

Florescimento: Dezembro a Abril   Frutificação: Dezembro a Julho 

Alimentação/Culinária: O estipe fornece, por incisão, um líquido adocicado e agradável com o qual se mata a sede. Fermentado, esse mesmo líquido se transforma em uma bebida conhecida por "vinho de buriti". A farinha de buriti é produzida a partir da parte interna do estipe da palmeira. Da polpa preparam-se doces, raspas de buriti, paçoca. A polpa também pode ser congelada e conservada por mais de ano, sendo utilizada praticamente da mesma forma que a polpa fresca. Com ela produzem-se, hoje em dia, diferentes tipos de sorvetes, cremes, geléias, licores e vitaminas de sabores exóticos, invenções e descobertas modernas, muitas delas desenvolvidas nos centros de pesquisa da EMBRAPA; são preparados os doces e outros subprodutos tradicionais como o moreno doce, a farinha de buriti, produzida da partir da parte interna do estipe da palmeira; as raspas de buriti, obtidas a partir da secagem ou desidratação ao sol da polpa do fruto raspado; a paçoca de buriti, quando se misturam, às raspas, um pouco de farinha de mandioca e de rapadura. Todos são alimentos resistentes ao tempo durante a estiagem, quando outros alimentos rareiam. Também comestível e, dizem, saboroso, é o palmito extraído do broto terminal da planta.

Propriedades Medicinais: Da polpa também se extrai um óleo de cor vermelho-sanguínea utilizado contra queimaduras, de efeito aliviador e cicatrizante. Esse mesmo óleo é comestível, apresentando altos teores de vitamina A.

 

BUTIÁ (Butia eriospatha)


Ocorrência: Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul

Florescimento: Setembro a Janeiro   Frutificação: Janeiro a Março 

Alimentação/Culinária: frutos naturalmente comestíveis, possuindo um sabor azedinho e doce, são carnosos e contêm única semente calórica e repleta de nutrientes,  sua polpa é usada na produção de licor e vinho. Da semente é aproveitado um azeite que pode ser perfeitamente utilizado na gastronomia, das suas frutas, de coloração laranja, são fabricados geléias, licores, cachaças e vinagres.

Propriedades Medicinais: Rico em vitamina C, usado para aumentar a produção de leite nas vacas

 

CARNAÚBA (Copernicia prunifera)


Ocorrência: Nordeste  Frutificação: novembro a março

Alimentação/Culinária: Da polpa, extrai-se uma espécie de farinha e um leite que, à semelhança do leite extraído do babaçu, pode substituir o leite do coco-da-bula. A amêndoa da carnaúba, quando torrada e moída, costuma até mesmo ser aproveitada localmente em substituição ao pó de café.

Propriedades Medicinais: diurética, indicada para reumatismo, sífilis.

 

 

CONTATO

fale conosco, tire suas dúvidas, fale com os terapeutas, opine sobre os artigos e dê sua sugestão de conteúdo.

BIBLIOTECA/LINKOTECA SELECIONADA

Nosso objetivo é formar um banco de referências bibliográficas das diferentes Terapias Holísticas, para consulta de todos os interessados em mais detalhes sobre determinado assunto. Seria muito importante, e verdadeiramente interativo, se recebessemos sugestões , objetivando uma das finalidades do site Terapia de Caminhos que é compartilhar experiências e conhecimento. Clique aqui para acessar a terapia que deseja uma bibliografia selecionada para consultas.

"As opiniões emitidas nos textos do site são de exclusiva responsabilidade de seus autores".