- Ano VII - nº 5 (63) - Agosto /Setembro de 2013.                                             Direção: Osiris Costeira

CAMINHOS DAS TERAPIAS - Adriana Heineman - adriheineman@hotmail.com

A Osteopatia

II - Osteopatia Visceral

 

Como falamos em nosso último artigo, o tratamento osteopático pode ser extremamente útil em pessoas acometidas de quadros dolorosos, principalmente dor lombar, dores de cabeça e pescoço, cólicas menstruais, ciáticas, lesões relacionadas ao trabalho e ao esporte, problemas funcionais digestivos e respiratórios.

Para tanto, o osteopata, basicamente um estudioso de Anatomia e Fisiologia, compreende como os sistemas corporais se inter-relacionam e se afetam mutuamente, ao examinar com rigor suas estruturas.

E, para entendermos melhor como se processa este inter-relacionamento, falaremos um pouco sobre a chamada Osteopatia Visceral, ou seja, o estudo da Osteopatia voltado para o bom funcionamento sistêmico do corpo, abrangendo as relações entre as vísceras, sistema nervoso central e o sistema estrutural.

E importante citar que não existe predominância entre os sistemas, na verdade não existe a Osteopatia visceral isolada, e sim a Osteopatia que avalia as relações entre os sistemas.

Em 22 de junho de 1874, o Dr. Andrew Taylor Still, criador da Osteopatia, citado no ultimo artigo, curou uma criança que sofria de disenteria hemorrágica. Ele percebeu que havia uma alteração de temperatura (fria) e rigidez lombar, e a região abdominal quente.

Compreendeu, então, que as contraturas torácicas, e rigidez lombar, estavam relacionadas com o mau funcionamento do intestino. Ele mobilizou a região lombar, restabeleceu a mobilidade e a criança ficou curada.

A partir daí, outros osteopatas seguiram os estudos e tiveram papeis importantes na historia da Osteopatia, como o Dr. Irvin Korr, que apresenta as relações e a convergência metaméricas para explicar as relações, Jean-Pierre Barral D.O., Georges Finet D.O. e Christian Williame D.O que participam dos mais recentes estudos das técnicas manipulativas nessa área da Osteopatia Visceral.

Todos os órgãos, assim como todo o corpo, estão em movimento constante e em sincronia entre si e com todas as estruturas que os rodeiam. Quando essa sincronia estiver perturbada, estamos diante de uma disfunção relacionada à  Osteopatia Visceral. 

Essas disfunções são caracterizadas por víscero-espasmos, diminuição da mobilidade e motilidade da víscera, diminuição da vascularização, ptoses viscerais, aderências decorrentes de inflamações, infecções, intervenções cirúrgicas, traumas, postura incorreta por demasiado tempo, entre outros. 

Na visão osteopática, essas alterações viscerais também podem ter origem nos sistemas simpático, parassimpático, hormonal, ou mesmo com  restrição tecidual e diminuição do líquido seroso presente na cavidade abdominal.

Todas as partes do corpo funcionam de forma integrada. No entanto, os estresses físico e emocional, como má postura, lesões no esporte, do trabalho e acidentes favorecem o surgimento de disfunções e restrições.

O tratamento em si visa dar função aos órgãos e tecidos, trazendo de volta sua mobilidade e motilidade, além de liberar aderências através de um equilíbrio fascial.

A seguir, mostramos a clássica figura que relaciona as vértebras com as várias áreas do corpo a que estariam relacionadas, com a sintomatologia possível, manipuláveis pela Osteopatia.

No dia a dia da prática osteopática, é muito comum observarmos nos pacientes, dores referidas, assim como uma queixa de dor no ombro ou cervical estar relacionada a uma possível irritação da pleura diafragmática, ou uma congestão do fígado.

Bem como dores na região dorsal, diretamente relacionadas a questões digestivas, como ulcera ou gastrite, ou até mesmo uma dor lombar ter relação com questões de disfunções uterinas e ovarianas, ou disfunções de ordens intestinais.

Sendo assim, o osteopata utiliza a abordagem holística de cuidados da saúde, reconhecendo a importância da relação entre a estrutura do corpo e o seu funcionamento.

A Osteopatia, tendo essa visão visceral, apresenta excelentes resultados em casos como  hérnia de hiato, ptoses viscerais, constipação intestinal e refluxo (inclusive em bebês),distúrbios hepatobiliares, gastrites, distúrbios renais, alterações do ciclo menstrual, queda da imunidade, patologias sistêmicas de origem visceral, entre outras.

Abaixo  algumas imagens de Dr. Andrew Taylor Still.

 

CONTATO

fale conosco, tire suas dúvidas, fale com os terapeutas, opine sobre os artigos e dê sua sugestão de conteúdo.

BIBLIOTECA/LINKOTECA SELECIONADA

Nosso objetivo é formar um banco de referências bibliográficas das diferentes Terapias Holísticas, para consulta de todos os interessados em mais detalhes sobre determinado assunto. Seria muito importante, e verdadeiramente interativo, se recebessemos sugestões , objetivando uma das finalidades do site Terapia de Caminhos que é compartilhar experiências e conhecimento. Clique aqui para acessar a terapia que deseja uma bibliografia selecionada para consultas.

"As opiniões emitidas nos textos do site são de exclusiva responsabilidade de seus autores".