- Ano VI - nº 1 (52) - Dezembro 2011 / Janeiro de 2012.                                                                Direção: Osiris Costeira

CONVERSAS AO REDOR DO FOGO - Osiris Costeira - osiris.costeira@uol.com.br

A OBESIDADE

III - O Perfil dos "Gordos"

 

Admite-se que os indivíduos apresentem padrões funcionais de origem complexa (enzimática, endócrina ou genética) que lhes determinam estrutura física e peso, e que podem sofrer a ação de fatores psicológicos.

Para avaliar o peso ideal de uma pessoa adotam-se critérios subordinados à idade, sexo e estatura. O indivíduo que ultrapasse os limites indicados é considerado obeso. Com frequência, o estudo da personalidade indica a existência de alterações. Neste caso, o excesso de peso manifesta-se como sintoma de desestruturação mais profunda.

Não existe um perfil que caracterize especificamente a pessoa gorda, mas sim uma série de indicações que se repetem insistentemente. Indivíduos que se tornaram gordos já no período correspondente à adolescência revelam, muitas vezes, uma personalidade que se adapta com dificuldade às situações que imponham algum tipo de restrição.

São indivíduos que, não tendo encontrado no período infantil limites à realização de seus desejos, vêem repentinamente que essa condição de onipotência é interrompida pelo término da infância e pela instalação dos estados de maior tensão do período da adolescência.

Verifica-se, então, a insatisfação permanente diante dos desejos que não encontra forma de aplacar. Essas pessoas se tornam, em consequência, passivas e acomodadas, e fazem desse comportamento um mecanismo de defesa que mascara e esconde a sua intensa agressividade.

A ingestão exagerada de alimentos tem o efeito de compensar as frustrações que esses indivíduos desenvolvem ao se relacionarem com o mundo e consigo mesmos. Ao mesmo tempo em que aspiram relacionar-se estreita e afetivamente, receiam e encontram dificuldade em aceitar situações que poderiam escravizá-los ou limitar-lhes a liberdade. Essa complexa forma de relacionamento gera intensa ansiedade, que só é atenuada através da ingestão -exagerada - de alimentos.

Nos últimos cinquenta anos, a vida nas regiões de grande desenvolvimento urbano sofreu profundas modificações. O dia de trabalho mais curto, as máquinas e os eletrodomésticos, as atividades das horas de lazer mais sedentárias (cinema, televisão, computador) diminuíram o gasto energético. Não obstante, os hábitos alimentares não mudaram o suficiente para se ajustar à diminuição das necessidades energéticas.

Os processos de alimentação através dos anos tornam disponíveis os excessos de calorias: os alimentos são menos volumosos e mais fáceis de serem digeridos. Além disso, há maior uso de açúcar e de doces, aliados à força da propaganda e da publicidade de certos tipos de alimentos.

Demonstrou-se, também, que a obesidade pode se apresentar como tendência familiar. Quando um dos pais é obeso, a possibilidade de o filho também ser obeso é de 40%, e essa probabilidade aumenta para 80% se ambos os pais forem gordos.

Talvez exista um componente genético, talvez de deva aos hábitos alimentares da família. É comum a imagem de criança “forte (isto é, gorda) e saudável” que predomina em certas famílias, onde o aumento da ingestão alimentar se transformou numa norma para diminuir a tensão ou os problemas emocionais.

Infelizmente, ainda não conseguimos detectar os genes – se é que existe – responsáveis pela não satisfação pela vida, substituída por vários artifícios, e que se propaga de pais para filhos mais por contiguidade de vida familiar (exemplo de vida) do que por alelos diretamente ligados ao próprio genoma.

 

 

CONTATO

fale conosco, tire suas dúvidas, fale com os terapeutas, opine sobre os artigos e dê sua sugestão de conteúdo.

BIBLIOTECA/LINKOTECA SELECIONADA

Nosso objetivo é formar um banco de referências bibliográficas das diferentes Terapias Holísticas, para consulta de todos os interessados em mais detalhes sobre determinado assunto. Seria muito importante, e verdadeiramente interativo, se recebessemos sugestões , objetivando uma das finalidades do site Terapia de Caminhos que é compartilhar experiências e conhecimento. Clique aqui para acessar a terapia que deseja uma bibliografia selecionada para consultas.

"As opiniões emitidas nos textos do site são de exclusiva responsabilidade de seus autores".