- Ano V - nº 4(44) - Março de 2011.                                                                 Direção: Osiris Costeira

HOMEOPATIA - Iára Vieira - iarasovieira@gmail.com

PRINCÍPIOS DA HOMEOPATIA - 2ª Parte

 

2º PRINCÍPIO: Individualização

A fim de que se possa tratar de acordo com os princípios Hahnemannianos, ou seja, de forma homeopática, o homeopata deve conhecer a pessoa doente em todos os seus sintomas energéticos, mentais, emocionais e físicos. E isso inclui suas modalidades reacionais próprias, suas sensações, sintomas concomitantes e alternantes. E, de modo especial, os sintomas raros, os peculiares e os característicos, estabelecendo o conjunto de todos os sintomas que revelam a constituição e o temperamento, ou seja, a reação vital unitária da pessoa.

No sentido de obter uma Homeopatia individualizada, cada doente tem a sua forma de adoecer e de vivenciar sua doença. Contudo, devemos considerar os aspectos que revelem o percurso da doença ao longo da vida da pessoa, sendo isso fator de suma importância para a compreensão total do caso em estudo. 

Consequentemente, é possível tecer uma história clínica homeopática completa abrangendo cinco diagnósticos:

I- Clínico (comum) ou patológico: através dele podemos conhecer todo o histórico de doenças da pessoa, os remédios que utiliza, como se alimenta, como é seu sono, como são suas eliminações, as vacinas que tomou ao longo da vida, o histórico das doenças dos familiares.

II-Individual (modalidades de reações): através desse diagnóstico podemos levantar as formas pelas quais a pessoa reage, se os sintomas relatados pioram ou melhoram pela manhã ou à noite, se pioram ou melhoram com o calor ou com o frio, com doce ou com salgado, se o sintoma é mais acentuado no lado direito ou esquerdo, se a pessoa é loura ou morena, se de pele bem branca ou mais morena, se magra ou gorda, alta ou baixa.

III- Biopatográfico: história da vida pessoal, familiar, emocional com o maior número de sintomas possível; 

IV- Terreno Diatésico (ou miasmático): este diagnóstico é muito importante porque é através dele que vamos perceber a forma como a pessoa adoece e o percurso de sua doença ao longo de sua vida; vamos definir uma medicação que fará uma limpeza com maior profundidade no organismo, limpeza esta que não é possível ser feita através das medicações alopáticas.  Através destes medicamentos estamos fazendo uma limpeza de “terreno” das pré disposições para determinadas doenças que a pessoa traz de pais, avós, bisavós,  

V- Medicamentoso (o simillimum ou o mais semelhante possível): chegamos a etapa final, quando definiremos o remédio ideal para a pessoa, aquele que apresente semelhança com o maior número possível de sintomas relatados pela pessoa.

3º PRINCÍPIO: Dose Mínima

Hahnemann indicava os remédios obedecendo à Lei dos Semelhantes e ao Princípio da Experimentação em pessoas sadias.  Inicialmente, empregava tinturas ou as próprias drogas, segundo a posologia Galênica (é o nosso sistema médico: quando para febre se indica antitérmico, para depressão um antidepressivo, para infecções indica-se antibiótico, obedecendo à Lei dos Contrários); diante do insucesso e das agravações dos pacientes, passou a aplicar os medicamentos em doses bem diluídas.

De posse deste conhecimento, teorizou que cada ser humano tem a sua dosagem mínima (diluída e dinamizada).  Não existe, até hoje, uma receita generalizada de como se calcular a dose ideal para cada caso.  Hahnemann demonstrou que quanto mais diluído, atenuado e dinamizado se encontrava um medicamento, tanto mais eficaz e mais penetrante seria sua ação, e que “a quantidade necessária de remédio se acha na razão inversa de sua semelhança com os sintomas do enfermo”.  Isto é, quanto mais próximo ao número de sintomas apresentados pelo paciente, menor a quantidade do remédio.

As doses são mínimas, diluídas e dinamizadas.  “Dose mínima homeopática” significa redução do número de moléculas de uma substância num determinado volume de diluente. Através dos métodos de diluição e dinamização obtemos DH (decimal Hahnemanniano), CH (centesimal Hahnemanniano), M (milesimal).

Para melhor compreensão dos termos diríamos que

Diluição – é a forma de misturar determinada quantidade de uma substância em um volume de líquido conhecido. Exemplo, quando fazemos um chá muito forte, precisamos colocar mais um pouco de água para diluir.

Dinamização – é o ato de agitar esta diluição, realizada através de sucussões, ou seja, bater o frasco com a diluição 100 vezes sobre uma superfície firme, mantendo o braço num ângulo de 900.  É a transformação da matéria pelo aumento do seu poder energético.

Usa-se Dose Mínima porque, em Homeopatia, o que age ou aciona (ativa o organismo) é o Princípio Vital e não a massa.  No Princípio Vital prevalece a qualidade e não a quantidade. Com o remédio certo, uma dose mínima é o suficiente para ativar o organismo.

Diluídas porque a parte densa, material ou tóxica, do elemento originário de determinada Homeopatia, torna-se suave, atenuada, atuando de forma benéfica.  Além do teor de memória que a água retém e transmite.  A Homeopatia é Pura Energia, 1 gota cura tanto quanto 10 gotas

Dinamizadas: a concentração e a elevação da Energia Vital tornam-se muito mais poderosas e atuantes porque é ativado o princípio dinâmico de cada substância.  As dinamizações são indicadas, na maioria das vezes, com as letras D ou X (dinamização decimal) ou C (dinamização centesimal).  Quando se lê DH ou CH é a indicação que o Sistema utilizado foi o Hahnemanniano.

 

CONTATO

fale conosco, tire suas dúvidas, fale com os terapeutas, opine sobre os artigos e dê sua sugestão de conteúdo.
 

BIBLIOTECA/LINKOTECA SELECIONADA

Nosso objetivo é formar um banco de referências bibliográficas das diferentes Terapias Holísticas, para consulta de todos os interessados em mais detalhes sobre determinado assunto. Seria muito importante, e verdadeiramente interativo, se recebessemos sugestões , objetivando uma das finalidades do site Terapia de Caminhos que é compartilhar experiências e conhecimento. Clique aqui para acessar a terapia que deseja uma bibliografia selecionada para consultas.

"As opiniões emitidas nos textos do site são de exclusiva responsabilidade de seus autores".