- Ano IV - nº 11(39) - Outubro de 2010.                                                                           Direção: Osiris Costeira

LEITURA CORPORAL - Osiris Costeira - osiris.costeira@uol.com.br

O Corpo Humano: O Grande Genoma

II - Segmento Cefálico - 2ª Parte

 

3 - Olhos

Os olhos exercem a função do “ver sensorial” (visão emocional e afetiva) e refletem a capacidade de percepção e reconhecimento dos estímulos subliminares (visão sutil).

O olho direito percebe as situações externas, o “outro” e os efeitos da experiência externa sobre o indivíduo. Sua ativação favorece a compreensão mental (lógica) das imagens e mensagens assimiladas. Os estímulos captados auxiliam na estruturação dos pensamentos.  O olho esquerdo percebe o meio interno, os processos de auto-reconhecimento e os movimentos criados no externo, a partir da expressão e da atuação pessoal.

Esses aspectos inerentes aos olhos direito e esquerdo são mais “visíveis” quando ocorre alguma patologia e as suas funções são prejudicadas. Assim, as suas características sutis deixam de funcionar. Sua ativação favorece a relação emocional (sensorial) com as imagens e mensagens assimiladas. Os estímulos captados auxiliam na estruturação dos sentimentos.

Chama-se atenção para o fato de que, independente do olho direito ou esquerdo, a visão de longe promove as expectativas do futuro e a visão de perto fala da realidade de hoje.

Além desses aspectos descritivos de uma Leitura Corporal sutil, os olhos, através da Fisiognomonia Chinesa, tão bem ensinada por Henry B. Lin (“O que o seu rosto revela: os segredos chineses da leitura do rosto”, Editora Pensamento-Cultrix, 2ª edição, 2001), nos mostra um mundo infinito de detalhes, principalmente quanto ao tamanho, o olhar, o foco e a cor, tornando-os, realmente, as “janelas da alma”.   

As pessoas com olhos grandes têm emoções fortes e dons artísticos. Contudo, muitas vezes não são suficientemente cuidadosas com as questões financeiras. As que têm olhos pequenos são precavidas, gostam de refletir bastante antes de tomar qualquer decisão, e pesam os prós e contras várias vezes antes de tomar alguma iniciativa.

As formas de como, através do olhar, as pessoas fazem contato umas com as outras revelam informações importantes sobre a sua personalidade. Olhar por sobre a cabeça do interlocutor faz supor pessoa orgulhosa e arrogante, da mesma forma que as que olham para baixo são medrosas e excessivamente cautelosas e preocupadas.  Uma pessoa que não olha diretamente nos olhos do interlocutor deve estar com a “consciência pesada”, com alguma culpa ou certa de que fez algo errado. Ao contrário, se o contato é sempre direto, franco, intenso, penetrante a pessoa é transparente e corajosa. Além disso, confia em si mesma e não liga para a opinião dos outros.

A maneira como as pessoas focam o olhar revela mais sobre seus destinos do que sobre suas personalidades. Quando não se consegue fixar o olhar, ou se percorre continuamente o ambiente com os olhos, demonstra-se não ter confiança em si nem objetivos definidos, o que redunda em poucas conquistas na vida.

A cor dos olhos, ou as cores nos olhos, ainda nos ensina o mestre Henry B. Lin, é extremamente importante no estudo e entendimento das pessoas. Olhos com pupilas escuras rodeadas por uma área prateada revelam ser de pessoas inteligentes, nobres de caráter e longevas, emoldurados por um bom senso de autoridade.  Por outro lado, se o branco dos olhos for amarelado ou avermelhado esta pessoa é portadora de um caráter difícil, temperamental, egoísta, amedrontada e, consequentemente, de difícil confiabilidade.

Outro aspecto interessante, e agora quem nos ensina é Marina Pombar (“Psicologia Del Rostro”. Editorial Aspásia, México, 2008), é a interpretação fisiognomónica das “bolsas sob os olhos”. Elas representam baixos níveis de energia dos indivíduos, extremamente estressados, ou usuários de dietas com alimentos adocicados e excesso de líquidos. E esta falta de vitalidade condiciona uma pessoa sem determinação, que se torna profundamente ansiosa e inexplicavelmente amedrontada quando tenha que assumir riscos, ou desenvolver atividades com final não pré-determinado.

Já as famosas “olheiras”, tão comuns em certas pessoas, podem indicar, além de um processo de insônia, pessoas que crêem que suas vidas pararam, estancaram, não evoluem, sobrevivendo o dia-a-dia numa eterna “mesmice”, rotineira e enfadonha.

Muitas vezes, não são as “bolsas” nem as “olheiras” que sobressaem nos olhos de certas pessoas. Mas, nitidamente, rugas, bem escavadas e delimitadas que simbolizam um profundo aprisionamento ao passado, sem se permitir vivenciar situações novas e atuais. Quando intensas essas sensações podem ocasionar até ressentimentos e pré-julgamentos de fatos e pessoas de hoje, em função de suposições e “verdades” do passado.

4 - Nariz

O nariz associa-se ao sistema respiratório e à pele no desenvolvimento e complementação dos impulsos de sociabilização, convívio e evolução das relações humanas. 

Desta maneira, permite dividir o seu corpo ou ponte, externamente, em três regiões topográficas: terço superior ou vértice do nariz, cuja qualidade funcional é determinada e estruturada na 1ª infância (predominância dos processos de percepção sensorial e emocional dos estímulos que envolvem o indivíduo); terço medial ou dorso do nariz, determinada e estruturada na 2ª infância (idade escolar, caracterizada pelos processos de participação e atuação do indivíduo em sociedade ou grupos extra-familiares); e terço inferior ou ápice do nariz, determinada e estruturada na pré-adolescência e adolescência, e resulta do uso e fluência da “verdade”, no desenvolvimento da relação entre os pais, ou substitutos, e o indivíduo.

Na Fisiognomonia Chinesa, Henry B. Lin lembra que a ponta e as asas do nariz podem significar aspectos interessantes e esclarecedores de determinadas características das pessoas. Uma ponta afilada com asas finas e narinas visíveis indica dificuldades financeiras, principalmente quando as suas finanças são “jogadas” e não planejadas. Deste modo, as pessoas com essas características devem ficar longe de qualquer forma de jogo, inclusive do mercado de ações, pois as possibilidades de ganho são, por esses princípios, dificultadas.

Ainda é Henry B. Lin que nos lembra o curioso hábito dos chineses de dar nome de animais a vários aspectos do corpo humano, inclusive ao nariz. E, dentre os inúmeros tipos de nariz “assemelhados” a animais, destacamos: “Nariz de Dragão” – tem ponte longa, alta e reta, ponta grande e carnuda com asas também grandes, narinas pequenas, constituindo a característica mais proeminente de todo o rosto. O “Nariz de Dragão” revela grande autoridade, poder e riqueza. Normalmente, imperadores, presidentes e Chefes de Estado têm um nariz assim, ou bastante semelhante. Como exemplos deste tipo de nariz lembramo-nos do Imperador chinês Gaozhu, fundador da dinastia Han, Meiji e Akihito Imperadores do Japão, o líder palestino Iasser Arafat, e o ex-presidente Lyndon Johnson, dos Estados Unidos da América; “Nariz de Rinoceronte” – parece se estender até a testa. A ponte é extremamente alta e a ponta carnuda e redonda. Os fisiognomonistas chineses consideram este tipo de nariz muito auspicioso, pois simboliza poder e autoridade suprema em determinada área, principalmente na política ou nas Forças Armadas, notadamente até os 50 anos de idade. O seu maior exemplo é John F. Kennedy, dos estados Unidos da América; “Nariz de Macaco” – caracteriza-se, principalmente, pela existência de uma ou mais protuberâncias na ponte, indicando problemas financeiros e relacionamentos tumultuados. Indica, também, um caráter solitário e possibilidade de sérios problemas de saúde, notadamente entre os trinta e cinquenta anos.

Marina Pombar lembra a existência de tipos interessantes de nariz, como o de “Ponta Fendida” que caracteriza indivíduos que gostam de grandes extremos na vida, com tendência a grandes períodos de criatividade e a longos momentos de eterno pensar sem os por em prática. Ou então, dois tipos clássicos de nariz como o “Pequeno e Fino”, cujos indivíduos tendem à timidez e a se absterem de posições de evidência, principalmente em reuniões sociais, e o “Grande e Fino”, em que seus portadores se caracterizam por centrar suas emoções e metas em poucos aspectos, rejeitando certas maneiras de “fazer tudo” e “saber tudo”.

Seja qual for o tipo de nariz em observação, desde tempos remotos da Fisiognomonia chinesa de onde tudo provavelmente se originou, o nariz representa a porção “humana” do rosto, localizada entre o céu (testa) e a terra (queixo), conferindo uma importância “prática” na interpretação dos aspectos personológicos dos seres humanos.

 

CONTATO

fale conosco, tire suas dúvidas, fale com os terapeutas, opine sobre os artigos e dê sua sugestão de conteúdo.

BIBLIOTECA/LINKOTECA SELECIONADA

Nosso objetivo é formar um banco de referências bibliográficas das diferentes Terapias Holísticas, para consulta de todos os interessados em mais detalhes sobre determinado assunto. Seria muito importante, e verdadeiramente interativo, se recebessemos sugestões , objetivando uma das finalidades do site Terapia de Caminhos que é compartilhar experiências e conhecimento. Clique aqui para acessar a terapia que deseja uma bibliografia selecionada para consultas.

"As opiniões emitidas nos textos do site são de exclusiva responsabilidade de seus autores".