- Ano V - nº 9 (49) - Agosto de 2011.                                                              Direção: Osiris Costeira

LEITURA CORPORAL - Osiris Costeira - osiris.costeira@uol.com.br

O Corpo Humano: O Grande Genoma

IV - Segmento dos Membros Superiores - 2ª Parte

 

A mão é um segmento de extremidade do membro superior que qualifica e concretiza a ação, e é formada por ossos curtos cujas funções são a efetivação e qualificação dos desejos. Esses ossos trabalham para trazer, na ação, todos os recursos potencialidades e habilidades que são próprios do indivíduo.

É constituída também pela articulação metacarpofalangeana, cuja função é avaliar se a ação que está sendo efetivada é coincidente com a intenção e com o propósito. A mão corresponde ao pé, que qualifica e concretiza os projetos de vida.

A face dorsal do corpo da mão é considerada como o centro do direito de receber, realizando a ação que objetiva efeito, retorno e ganho. Tão importante quanto saber doar é saber receber. E para que haja saúde de dorso de mão é preciso assumir que se quer receber e ter com clareza o que se deseja como retorno.

A face palmar é considerada como o centro do ato da doação, pois realiza a ação liberal e dadivosa. A ação dadivosa é aquela na qual o indivíduo faz a sua parte, finaliza e entrega o feito para que aquilo sirva ao outro, ou seja, continuado pelo outro. A palma da mão doa, oferece, entrega para o externo, define entre o que é do indivíduo e o que ele permite que também seja do outro. Ela processa a ação em que se entrega e não se retém.

Ambas as faces – dorsal e palmar – viabilizam e concretizam todo o movimento de “dar e receber” entre o indivíduo e a coletividade, na busca de um equilíbrio que represente a satisfação de compartilhar com as pessoas o milagre da Vida.

Os dedos, como “antenas” constantemente ligadas e atentas a tudo que se pretenda/deseje transferir para dentro ou para fora do indivíduo, definem a postura a ser assumida para a efetivação da ação. Eles correspondem aos artelhos, que fazem a estruturação final da ação que objetiva a concretização dos projetos de vida.

A falange proximal dos dedos, que tem uma correspondência com o braço, conclui o processo de elaboração; a falange média, que tem uma correspondência com o antebraço, atribui qualidades à ação, permite adaptações e readaptações, elabora e estrutura recursos que dêem realce à expressão; e a falange distal, que corresponde à mão, faz a composição final, caracteriza o ato, acrescenta confiabilidade e fé, e libera a expressão da ação ou movimento. É responsável pela efetivação da ação. Realiza.

As unhas, as verdadeiras “garras” do animal-homem, trabalham em prol da forma como a ação está sendo efetivada em confiabilidade e fé, predeterminando, consciente ou inconscientemente, a sua defesa para qualquer “contratempo” que surgir. Dependendo da confiança, da fé e do realce que se dá à própria atuação, será definido o brilho do feito e o retorno, consequentemente, a sua aparência, textura e finalidade.

Um aspecto interessante a ser considerado é - mais comum entre as mulheres do que nos homens - o comprimento da unha, em que quanto maior ela se apresentar mais possibilidade de a pessoa usar as suas “garras” como defesa, e mesmo como ataque, na busca por seus desejos 

Por outro lado, a coloração artificial das unhas, notadamente das mulheres, pode indicar determinadas predisposições. Assim, é mais observado que uma mulher naturalmente agressiva – momentaneamente ou como perfil – pinte as suas unhas das mãos, e às vezes dos pés também, de vermelho, do que de outra cor, ou não pinte. 

O 1º dedo ou polegar é o dedo mais importante da espécie humana, como antropóide primata, visto que ele representa a função de “pinça”, ao se opor aos demais quatro dedos da mão, e poder segurar objetos entre os dedos.

E é no próprio nome que se configura a sua importância, pois o termo polegar vem do latim pollex, que veio de polleo, que significa “sou forte”

Além disso, é visto, historicamente, como o dedo da opinião, desde o tempo do Coliseu Romano em que os gladiadores viviam ou morriam em função do polegar do povo: para cima ou para baixo.

Na simbologia da Leitura Corporal o mais importante dedo do ser humano não poderia corresponder a outra coisa a não ser o AMOR, em todas as suas manifestações de AFETO. Através de sua anatomia, notadamente de sua falange distal e da sua respectiva unha, poderemos supor como este indivíduo “manipula” as suas energias do AMOR, e como esta energia flui, para o indivíduo e dele para a coletividade.

O 2º dedo ou indicador é também chamado dedo da orientação. Representa, na simbologia da Leitura Corporal, o componente racional da materialidade, movimentando uma ação concreta, direcionada e assertiva. Fala, definitivamente, o que o indivíduo quer para dar e receber em termos objetivos e reais. Determina a direção que deseja na sua vida. Trabalha diretamente com o fígado.

O 3º dedo ou dedo médio representa a ação pacificadora, a ação que encontra a melhor forma para desenvolver determinada ação, que pretende unir e somar, buscar o processo de vinculação e criar as relações mais propícias ao convívio humano em Paz. Representa, também, o componente de lazer e de gozo a que todos necessitam desde que se permitam.

O 4º dedo ou anelar é o dedo oficial dos relacionamentos, além de caracterizar a capacidade de o indivíduo seguir a sua intuição, ditada pela sua “essência”. É o dedo que tenta representar os afetos vividos dentro de cada vínculo.

O 5º dedo ou mínimo, chamado dedo da integração, movimenta toda a atitude participativa do indivíduo, e representa a capacidade de associação a grupos de qualquer natureza, em busca de uma única palavra ou de um único pensamento, exposto pelo grupo como se fôra dele.  

Os dedos representam a última saída ou a primeira entrada de ENERGIA com relação ao corpo físico. Para tanto, a velocidade de fluidez desta energia poderá variar em função dos aspectos anatômicos dos próprios dedos, em que, em eles sendo finos e longos, favorecerão a fluidez, e ao contrário, em sendo grossos e curtos. Como sempre, como em tudo na vida, o meio termo criará o equilíbrio.

Neste aspecto, observamos que os artistas, ou os que têm grande sensibilidade artística, apresentam dedos finos e longos. Por outro lado, os dedos grossos e curtos, pelo menos dedos curtos, ainda entre os artistas, são mais comuns àqueles que utilizam diretamente os dedos em sua arte, como os artesãos e escultores. Os cirurgiões, que necessitam de uma destreza especial com as mãos/dedos em sua atividade, geralmente também apresentam esse tipo de dedos, grossos e curtos.

As falanges distais revelam o mesmo significado de fluidez se o seu leito ungueal (a unha) acompanha uma maior dimensão “verticalizada” (ao longo da falange) do que “horizontalizada”. Nesse caso, as unhas, mais largas do que cumpridas “bloqueiam” ou dificultam, de certa forma, a energia que entra ou que sai do indivíduo.

 

CONTATO

fale conosco, tire suas dúvidas, fale com os terapeutas, opine sobre os artigos e dê sua sugestão de conteúdo.

BIBLIOTECA/LINKOTECA SELECIONADA

Nosso objetivo é formar um banco de referências bibliográficas das diferentes Terapias Holísticas, para consulta de todos os interessados em mais detalhes sobre determinado assunto. Seria muito importante, e verdadeiramente interativo, se recebessemos sugestões , objetivando uma das finalidades do site Terapia de Caminhos que é compartilhar experiências e conhecimento. Clique aqui para acessar a terapia que deseja uma bibliografia selecionada para consultas.

"As opiniões emitidas nos textos do site são de exclusiva responsabilidade de seus autores".