- Ano II - nº 4(16) - Abril de 2008.                                                                     Direção: Osiris Costeira

YOGA - Sri Ananda Deha.

Yoga e Meditação.

Os Fundamentos Filosóficos do Yoga segundo Sri Swami Krishnananda Saraswati Maharaj

Parte 2 – Consciência Cósmica e Percepção

“As pessoas perguntam, "Deus existe?" Esta é uma pergunta sem sentido. Se o mundo existe, Deus deve existir, porque Deus é somente um nome que você dá para a Consciência que reside em todo universo, assim como a consciência reside em sua própria personalidade individual.

Você pode perguntar, "Como você sabe que existe Consciência em todos os lugares?" Eu pergunto a você, "Como você sabe que seu amigo tem consciência?" Você sabe que você tem consciência, mas você não pode ver a consciência em seu amigo. Mas você assume pela atividade inteligente presente nele que ele tem consciência. Do mesmo modo, pela atividade do cosmos, nós podemos assumir a presença de uma Inteligência Cósmica.

Agora, esta Inteligência Cósmica, presente em todos os objetos, é o que é chamado de Deus, o Ser Supremo. Você chama isto de Absoluto, porque é Consciência Completa, e não existe nada fora dela. Quando existe alguma coisa fora dela, você chama de consciência relativa. Quando não existe nada fora dela, e é o Todo no Todo, que a tudo permeia, você chama isto de Consciência Absoluta.

Agora, você é parte da Consciência Absoluta, porque você é parte do universo. Você é uma parte orgânica com universo, não uma parte mecânica (como a pedra na pilha). Você está vitalmente relacionado ao cosmos como um todo, então você é parte essencial do cosmos.

Desta análise nós chegamos à conclusão estarrecedora de que o universo como um todo pode ser comparado a um vasto indivíduo. Isto é o que os Vedas chamam de Parama-Purusha ou Ser Supremo. Quando eles usam tais termos nos textos, o que eles querem dizer é que nossa salvação está condicionada em sermos amigáveis com o universo como um todo.

A saúde de um dedo de seu corpo depende da saúde do corpo como um todo. Supondo que o corpo todo está sofrendo de febre tifóide, pode o dedo estar saudável? Não, o dedo também será afetado pela mesma enfermidade, porque ele está vitalmente relacionado ao corpo como um todo.

Da mesma forma, o que quer que seja o universo, isto também você é. O universo é um perfeito equilíbrio de forças; e então, visto que você é parte integral deste perfeito equilíbrio de forças, que é o universo, você sabe como você tem que conduzir-se na vida. Você não pode suportar, em nenhum momento de sua vida, violar a lei do universo. Você deve permanecer pela lei do cosmos, a qual é Samatva, ou distribuição imparcial de atitude. Yoga é definida no Bhagavadgita como Samatva. Harmonia é Yoga. Bhagavan Sri Krishna, o Super-homem do Oriente, diz: 'Samatvam Yoga Uchyate' (Gita 2-48). Esta é uma definição muito simples, sem ambigüidade e não-sectária do Yoga. Harmonia e equilíbrio são Yoga.

O que é harmonia? Harmonia não é nada mais do que o seu ajuste com o cosmos. Se você está ajustado adequadamente ao universo, é dito que você está em harmonia com o universo. Porém se há um desajuste com o cosmos, você é arremessado como um indivíduo. Agora, o simples fato de você ser capaz de ver objetos fora de você com seus sentidos como algo separado completamente de sua personalidade, mostra que você não está adequadamente ajustado com o cosmos. Você não consegue enxergar uma célula do seu corpo como algo externo, porque é uma parte essencial da sua própria existência. Deste modo, se nós somos capazes, pelo poder da força de vontade e concentração, de visualizar o mundo como essencialmente relacionado à nossa consciência, nós estaríamos automaticamente em um estado de meditação.

A substância do mundo não é matéria ou material inorgânico. Existe uma idéia errônea entre a maioria das pessoas de que o mundo é feito de matéria morta não-inteligente. Não é assim. Você não pode ver consciência com seus olhos. Você não pode ver a consciência ou inteligência em outra pessoa. Como você pode ver a Consciência no mundo externo? Mas, assim como é possível deduzir a presença de consciência em outro indivíduo pela sua atividade, você também pode deduzir a presença de Consciência no universo pela análise de uma atividade peculiar chamada percepção.

A análise do processo de percepção de objetos lhe dará uma indicação de que o mundo é feito de Consciência, e não matéria. É somente por dedução que você pode chegar a esta conclusão, não por uma percepção direta, visível e sensorial.

Você vê um objeto, uma montanha que está a uma milha de distância, na sua frente, e você diz, "Eu a vejo." Eu lhe pergunto, "O que você quer dizer quando diz que você a vê?" Você irá responder, "Os olhos estão abertos, os raios de luz que caem na montanha viajam da montanha e colidem na retina dos olhos, e então me é dada a imagem da existência da montanha." Mas eu irei lhe perguntar, "A luz têm inteligência ou não?" Você sabe muito bem que raios de luz não têm consciência, eles são inertes; e a montanha é inerte. Um princípio não-inteligente não pode criar inteligência; porque o princípio da lógica exige que a causa deva ser pelo menos tão rica como o efeito. A percepção da montanha é uma atividade consciente, inteligente (ex. efeito). Então, a causa, o movimento dos raios de luz, deve conter Consciência inerentemente, de outra forma, seria inferior ao efeito e consciência não pode ser produzida pelo efeito inferior os quais são os raios de luz.

Também, vamos pegar outro aspecto deste mesmo problema. A montanha a qual é externa a você não pula em seus olhos. Ela está longe. Como você passa a saber que existe uma montanha em frente a você? Seus olhos não tocam a montanha e a montanha não toca seus olhos. Ambos estão distantes um do outro. Existe um elo que conecta a montanha aos seus olhos. Esta é a razão pela qual você é capaz de saber que existe uma montanha. Mas qual é o elo de ligação? Você pode dizer, raios de luz. Não. Raios de luz são inertes. Visto que inércia não pode produzir uma percepção inteligente, nós não podemos consentir que raios de luz, que são inertes, possam ser o elo de ligação, na verdade.

O elo de ligação entre um objeto e a consciência que o observa pode ser somente duas coisas, porque só há duas coisas neste mundo, consciência e matéria, não existe nada mais. Agora, o elo de ligação entre a montanha e a consciência que a percebe seria um dos dois, ou consciência ou matéria. Se você disser que matéria ou qualquer coisa material é o elo de ligação entre a montanha e sua consciência, existirá uma brecha entre consciência e o objeto. Isso porque consciência não pode se tornar matéria e matéria não pode se tornar consciência, sendo eles diferentemente caracterizados, como leite não pode se tornar pedra e pedra não pode se tornar leite. Desta forma, se o elo de ligação fosse matéria, existiria uma brecha entre matéria e consciência e não haveria nenhuma ligação entre os dois e você não saberia que existe uma montanha em frente a você. Logo, isto não pode ser. E, naturalmente, a alternativa é que o elo de ligação seja a consciência. Consciência pode se misturar com consciência. Por esta inferência nós chegamos à conclusão que consciência deve estar escondida atrás até mesmo de objetos materiais; de outro modo a percepção por si só seria impossível. Assim como nós deduzimos a presença de inteligência pela atividade exterior das pessoas, nós deduzimos a presença de inteligência no mundo através da análise da atividade do indivíduo conhecida como percepção.

A conclusão a qual estamos chegando através de toda esta análise é que o mundo é definitivamente Consciência em sua natureza, e não matéria. Você também não é matéria, porque sua personalidade como um todo permanece não afetada mesmo que os membros sejam cortados. Você é Consciência. Você não é um corpo. Você é algo bem maior que um corpo. Da mesma forma, há um princípio inerente de Consciência em todo Cosmos. Esta Consciência inerente é o que é chamado de Absoluto, ou Brahman, ou o Atman. Nós a chamamos de o Ser (ex. Atman), porque ele sempre permanece Escondido no indivíduo como o princípio que visualiza, e não como o objeto visto (porque Consciência não pode se tornar um objeto o qual você possa ver com seus sentidos). Então, a Consciência Universal, sendo incapaz de ser convertida em um objeto, permanece sempre como sujeito, como o Ser. A Consciência Suprema, a qual é o Absoluto, é o Ser de todos.

Se você conseguir reter este estado mental por alguns minutos, o de que o universo é um mar de Consciência e que você é como ondas neste mar de Consciência, e que não existe nada como matéria ou matéria inorgânica neste mundo – isto é universalidade de percepção, diferente da percepção individual de objetos. Isto é Meditação.”

“Tenha um novo ângulo de visão. Arme-se com discriminação, alegria, discernimento, vivacidade e espiríto compreensivo. Um futuro brilhante e glorioso está esperando por você. Deixe o passado ser enterrado. Você pode realizar milagres. Você pode fazer maravilhas. Não desista da esperança.”
Swami Sivananda

OM Tat Sat!

Namastê!!!

http://www.divinelifesociety.org

http://www.swami-krishnananda.org

Tradução em Português

http://www.sivanandabrasil.com.br

CONTATO

fale conosco, tire suas dúvidas, fale com os terapeutas, opine sobre os artigos e dê sua sugestão de conteúdo.

BIBLIOTECA/LINKOTECA SELECIONADA

Nosso objetivo é formar um banco de referências bibliográficas das diferentes Terapias Holísticas, para consulta de todos os interessados em mais detalhes sobre determinado assunto. Seria muito importante, e verdadeiramente interativo, se recebessemos sugestões , objetivando uma das finalidades do site Terapia de Caminhos que é compartilhar experiências e conhecimento. Clique aqui para acessar a terapia que deseja uma bibliografia selecionada para consultas.

"As opiniões emitidas nos textos do site são de exclusiva responsabilidade de seus autores".